Feliz ano novo!

Como é bom estarmos vivos e sentir que podemos criar um ano realmente novo. Parece uma coisa banal, mas muitos não tiveram a mesma sorte, nos últimos dois anos o saldo de pessoas incríveis que nos deixaram foi gigantesco. Nós, que aqui estamos, temos uma oportunidade incrível de desfrutarmos das coisas boas da vida, da convivência e buscarmos nossa auto realização.

O ano de 2022 certamente trará seus desafios, será um ano eleitoral e isso por si só já é estressante. Mas aí reside também uma grande chance para os brasileiros, uma possibilidade de renovação, um resgate de valores como a justiça, a ética, o bom senso e o entendimento. Podemos mudar nossos representantes e nos unir em torno de valores mais elevados. Somos melhores quando trabalhamos juntos, unidos pelo mesmo propósito: o bem comum. Temos que abandonar as barreiras que nos separam daqueles que têm opiniões diferentes da nossa, estamos tão confusos, intoxicados por notícias falsas e muitas vezes completamente sem disposição para argumentar sem discutir, acolher sem julgar e ensinar ao invés de impor. Quando nossos filhos estão equivocados, não adianta criticá-los sem mostrar carinhosamente como eles podem agir de forma melhor. Grande parte das vezes a lógica basta mas quando não é o suficiente temos que dar o exemplo, praticar a paciência e a compaixão, assim eles podem se inspirar e corrigir seus equívocos sem alarde.

Com a motivação de criar oportunidades de aprendizado e troca criamos os programas e cursos desenvolvidos pela do equipe coletivo cultural Fora da Caixa, eles são destinados aos indivíduos que se permitem sonhar com um mundo melhor, onde a Educação, a Cultura, a Arte, a Saúde Emocional, Física, Espiritual e Financeira sejam contempladas, aprendidas e praticadas. As datas e detalhes de nossos projetos para 2022 estão em nossa revista Openzine e mídias sociais.

Se estamos insatisfeitos com o estado das coisas precisamos ir além de apontar os defeitos, precisamos trabalhar ativamente na busca de soluções, neste sentido oferecemos programas de meditação, yoga, práticas corporais, mitologia pessoal, educação para paz, liderança para o futuro, empreendedorismo entre outros. Somos sonhadores sim, mas sonhamos acordados.

Estamos convictos que para criar um mundo melhor, uma sociedade mais justa e equilibrada, é preciso começarmos uma transformação em nosso interior, eliminar hábitos mentais negativos e desenvolver ações concretas para que uma mudança aconteça.

Gandhi diria que “você deve ser a mudança que deseja ver no mundo”, simples assim.

Entre os desafios coletivos que estamos enfrentando está a crise ambiental, que não aceita ameaças e nem intimidações das nações poderosas, nem o maior exército intergaláctico pode influenciar no fato de que estamos destruindo nosso planeta. Mudanças não são só necessárias, mas urgentes! Os loops climáticos deveriam ser o bastante para nos assustarmos, mas ainda seguimos amortecidos e inertes.

Os desentendimentos e polarizações que se multiplicaram entre os indivíduos não deixarão de cobrar seu preço. A falta de empatia e diálogo nos levará para um abismo, onde os dois lados serão arremessados. Não há salvação que não prescinda da compaixão, entendimento e a busca pelo bem comum. Temos que encontrar soluções para nossa casa comum, nosso planeta. Não temos tempo a perder, a vida passa muito rápido e se deixarmos para amanhã pode ser que não dê tempo. Como nos aponta Martin Luther King: “A grande casa onde vivemos requer que transformemos essa vizinhança global numa fraternidade global. Juntos, devemos aprender a viver como irmãos, caso contrário, pereceremos forçosamente como tolos”.

Temos que assumir a responsabilidade de nossas ações e omissões, fazer a nossa parte, colocar nosso “tijolinho” na construção dos alicerces da mudança. Esse é o único caminho, essa deveria ser a principal meta individual: ser melhor que ontem e fazer o bem cada dia mais.

Sei que o caminho é longo, tortuoso e exige mais do que um simples desejo. Exige disciplina, empenho e entusiasmo. Exige uma esperança ativa, um idealismo prático. Orações podem ajudar mas precisamos mesmo é de obras.  É hora de sairmos de nossa zona de conforto, arregaçarmos as mangas e abrirmos nosso coração. Temos que reeditar nossos objetivos éticos, como nos propõe sabiamente Martin Luther King:

 “A esperança de viver criativamente na casa mundial que herdamos repousa em nossa habilidade de reeditar os objetivos éticos de nossa vida pessoal e de justiça social. Sem este despertar espiritual e ético acabaremos por nos destruir pelo mau uso de nossos próprios instrumentos”.

Um ano novo se inicia, cheio de potencial e possibilidades. Aproveite para investir seu tempo e energia em seu aprimoramento, busque novas soluções para antigos problemas, mude seu rumo e alcance o melhor de sua versão. Assim sua luz poderá afastar a escuridão de seu caminho e quem sabe poderá guiar quem está à sua volta. Lembre-se que não dá pra fingir ser luz, o brilho tem que vir de dentro. Só assim todos poderão se beneficiar através de você!

Que em 2022 você seja luz, seja ação e auto realização!

Mãos em prece,

Regina Proença

Comentários Facebook

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *