A cidade de Amristar fica no estado do Punjabe, ao noroeste do país. Tem cerca de 1,2 milhão de habitantes. Fundada em 1577, é o centro da religião Sikh, e local do Harmandir Sahib, o mais importante templo do siquismo, conhecido como Templo Dourado. Os homens do Punjab são altos e com um porte alongado; os que são Sikhs usam turbantes coloridos, barbas bem cuidadas que acrescentam um ar altivo e charmoso. São um povo guerreiro e em sua indumentária usam adagas e espadas, um traje de baixo típico e pulseiras que revelam sua fé.

Achamos a cidade um pouco mais limpa e organizada que as outras; como se trata de uma região de fronteira com o Paquistão, os militares estão em todos os lugares. A troca da guarda é uma atração famosa – militares com trajes especiais, música e coreografia reúnem centenas de expectadores todos os dias.

Estivemos no Templo de Durgiyana, dedicado a Lorde Hanuman, Mata Shuta e Lakshmi. O local estava em reforma e o lago estava seco. Mesmo assim a beleza se impõe e nos encanta pelos detalhes.

Visitamos o Partition Museum, mas não pudemos tirar fotos, apenas do exterior. Ali encontramos vídeos, artigos de jornais, fotos, roupas e documentos que retratam este período da história, muito intenso e sofrido. Também é possível visitar o lugar onde ocorreu o famoso Massacre de Jallianwala Bagh. Isso foi antes da independência indiana, quando tropas do Reino Unido fuzilaram a sangue frio milhares de pessoas que protestavam desarmadas e pacificamente pela independência indiana.

O melhor de conhecer locais sagrados de outras tradições é poder se abrir para o novo, ter olhos para enxergar a beleza, o respeito, a devoção e o cuidado que somente a espiritualidade pode trazer. Apesar de serem conhecidos como guerreiros, terem lutado ao lado de Gandhi e sofrido com o processo de separação da Índia com o Paquistão, eles são doces, alegres, educados e orgulhosos por sua bravura e resiliência.

O Templo Dourado é encantador, com seus mosaicos de mármore, devotos por todos os lados e guardas protetores que nos lembravam todo o tempo para cobrir a cabeça em respeito ao local. Ali há contemplação, preces, água e comida distribuída aos peregrinos. O colorido das vestes, os turbantes, o contraste da água com o dourado do templo produz imagens incríveis, um encanto único que nos inspiram a ficar ali e observar os fiéis passando.

É como se fosse a Capela Sistina dos Sikhs, considerado o lugar mais sagrado da religião porque o principal livro dos Sikhs está em seu interior. O quarto guru da religião escavou um tanque em 1577, que ficou conhecido como Amritsar (que significa “Piscina do Néctar da Imortalidade”). Uma cidade cresceu ao seu redor e acabou ficando com o nome. Lá dentro há um museu com as principais passagens da história Sikh.

Fomos recebidas como rainhas pela equipe do hotel em que nos hospedamos – o gerente, garçons e chef fizeram questão de preparar pratos deliciosos da gastronomia local e nos mostraram toda a riqueza de sabores que encontramos na Índia. Fomos surpreendidas em nossa despedida com um mimo: um bolo feito especialmente para nós, com uma mensagem de “See you soon”. Foi uma emoção receber tanto carinho! Claro que tiramos fotos com eles e todos ficaram felizes! Os indianos sempre nos desconcertam com tanto carinho, ficamos com a sensação de que um dia teremos mesmo que voltar ali para revê-los! See you soon, dears!

Comentários Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *